Compras nos EUA: o que vale a pena trazer de lá?

Mesmo com a moeda americana atingindo os mais altos patamares, muitos brasileiros saem daqui com destino a Miami e Orlando para fazerem compras.

Os interesses são diversos: roupas, calçados, eletrônicos, aparelhos domésticos, enxoval de bebê e outros. Essa procura é grande porque a região, muito badalada e a preferida pelos brasileiros, concentra shoppings e outlets com ótimos preços, também oferecem outras opções de lazer e entretenimento, além de sol e clima agradável por boa parte do ano – coisa que chama muito a atenção de nossos conterrâneos.

Muitas famílias fazem um grande planejamento, que envolve compra das passagens, estadia e o roteiro de acordo com as necessidades e desejos. Mesmo em época de dólar alto (bateu os R$ 4 nas últimas semanas), são muitos os itens que justificam uma visita aos EUA, parte por uma diferença grande ainda em relação aos valores praticados no Brasil — é comum encontrar por lá produtos por 1/4 do preço — e parte por ainda não terem chegado por aqui.

Em períodos como este, é fundamental saber o que adquirir e escolher com estratégia, orienta Daniel Ickowicz, diretor da Elite International Realty, consultoria especializada em compra, venda e aluguel de imóveis, sediada em Miami.

Para saber quais itens ainda são interessantes comprar fora do país, é importante pesquisar na internet e verificar os preços. Talvez você ainda encontre certos itens com o mesmo valor ou até mais barato por aqui – isso porque também deve ser considerado o IOF em casos de compras com cartão de crédito, mais impostos de cada município. Em Miami, o valor é 7% e em Orlando, de 6.5%.

Além disso, a Receita Federal estipula o limite de compras de até US$ 500 e o que exceder esse valor será taxado. A boa notícia é que nem todos os produtos entram nessa cota, como celulares, relógios e itens de uso pessoal, por exemplo. Em compensação, bebidas, notebooks, equipamentos fotográficos e outros farão parte desse limite.

Para Daniel, essas são as informações que o turista deve ter em mente, mas garante que “mesmo com essas regras, há muita coisa interessante no exterior e que vale a pena, inclusive se exceder esse limite”. Neste caso, a legislação determina que o que ultrapassar o limite de US$ 500 deve ser declarado e será objeto de tributação em 50% sobre o excedente.

Confira alguns exemplos e seus preços* entre os mais procurados pelos brasileiros e faça as contas:

Celulares

iPhone X 64 GB

Preço no Brasil: R$ 6.999,00

Preço nos EUA: US$ 999,00 + taxas

Samsung Galaxy S9 128 GB

Preço no Brasil: R$ 3.999,00

Preço nos EUA: US$ 809,99 + taxas

Câmera

Canon EOS 80D

Preço no Brasil: R$ 6.144,90

Preço nos EUA: US$ 999,00

Notebooks

Dell – XPS 13

Preço no Brasil: R$ 8.439,00

Preço nos EUA: US$ 1.396,00

MacBook Air – 8gb i5

Preço no Brasil: R$ 5.114,00

Preço nos EUA: US$ 789,00

Video games


PlayStation 4 Pro – 1 TB

Preço no Brasil: R$ 2.739,00

Preço nos EUA: US$ 384,99

Xbox One X

Preço no Brasil: R$ 2.919,50

Preço nos EUA: US$ 499,00

Perfume

Dolce&Gabbana – The One

Preço no Brasil: R$ 454,00

Preço nos EUA: US$60,25

Tênis

New Balance 574 – Feminino

Preço no Brasil: R$ 499,00

Preço nos EUA: US$ 29,00

Adidas – Predator Tango 18+

Preço no Brasil: R$ 999,99

Preço nos EUA: US$ 119,99

Bebidas

Whisky Jack Daniel’s – 1000 ml

Preço no Brasil: R$ 139,90

Preço nos EUA: US$ 32,00

Vodka Gray Goose – 1000 ml

Preço no Brasil: R$ 149,90

Preço nos EUA: US$ 44,00